DESTAQUES

Notícias

Fim da estabilidade estimula assédio moral e sexual contra servidores

26 de Janeiro de 2021 11:56:04


A Reforma Administrativa (PEC 32/2020) vai acabar com a estabilidade dos servidores públicos (atuais e futuros).

Com isso, o governo vai estimular o assédio moral e deixará funcionários públicos reféns do assédio sexual – principalmente as mulheres, que ainda sofrem com o machismo na nossa sociedade.

Servidores e servidoras que se recusarem a se submeter ao assédio de chefes abusivos, ou mesmo de governantes corruptos, sofrerão perseguição e poderão até ser demitidos – bastaria que os assediadores montassem uma avaliação fraudulenta de “produtividade”.

Futuros servidores estarão ainda mais fragilizados, já que a imensa maioria não terá nenhum tipo de estabilidade. Chefes e governantes usarão a ameaça de demissão para chantagear, pressionar ou exigir favores desses servidores.

A Reforma Administrativa incentivará o assédio moral e sexual contra o funcionalismo, mas toda a população será prejudicada porque servidores serão forçados a fazer o que o governante ou chefe desejar, e não necessariamente aquilo que é bom para a sociedade.

Para evitar essa barbárie, é preciso manter a estabilidade dos servidores e a obrigatoriedade do concurso para ingresso no serviço público.

Valorize o serviço público. É para todos.

 

Fonte: É público, é para todos

 


<<< VOLTAR

Confira também:







SERJUSMIG :: Rua Guajajaras, 1984 - Barro Preto - CEP 30180-109 - Telefone: (31) 3025-3500 - Fax: (31) 3025-3521
Design por: Interlig
Desenvolvido por: Masterix Sistemas